sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Mais uma vela

Hoje chego aqui ao meu cantinho e sento-me, encosto mais uma pequena vela as muitas outras que já cá trouxe... ao olhar para ela lembro-me de tudo que a trouxe cá, é um pouco da minha vida que me foi entregue em mãos, foi um ano de caminhada por isso ela andou por muitas mãos e cada pessoa que a transportou percorreu muito. É assim a minha vida e a minha caminhada, o meu ano de vida que agora deu lugar a um novo... nunca teria pernas nem força para andar tanto todos os dias, a cada hora, a cada segundo, por isso tenho pessoas que me ajudam nesta caminhada. Elas seguraram esta vela com todo o cuidado e carinho, a protegeram das intensas chuvas, caminharam com ela contra os fortes ventos, dias quentes, dias frios, dia e noite... sem nunca pararem. Cada pessoa teve o seu bocado a segurar nela, soube como recebê-la, preferiu cair as vezes para que a vela não se apagasse e depois não teve o egoísmo de ficar com ela e entregou-a a quem se seguia... foi assim que ela me chegou agora as mãos. O dia de hoje é para isso, para receber um ano de pessoas maravilhosas nas minhas mãos e para saber que outra agora está a caminhar para mim para de hoje a um ano a estar a receber. A todos que fizeram isto por mim, que o estão a fazer e os que farão convido agora também para repousarem um pouco agora comigo, neste cantinho, a admirar esta pequena vela que traz tanto consigo...

2 comentários:

Ni disse...

E neste dia é impossivel admirar a simplicidade desta vela sem admirarmos tambem quem és... Obrigada pelo teu exemplo e tambem por nos deixares fazer parte dessa luz tão bela...

Sandrita disse...

A vela lembra-me luz... luz que me faz seguir o teu caminho. luz que nos faz seguir-te vezes e vezes sem fim, sem nunca desistir.
Olha para ti muitas vezes, como sinal de coragem, de amor e de carinho. Quando me apetece fugir, quando me apetece desistir, olho para ti, para a fotografia que tenho na minha cabeceira e sinto que tudo vale a pena pelos tres dias, pelos amigos, e pelas pessoas que já conhecia.
Os dias nem sempre sao fáceis, e o meu sorriso fácil facilita muito as oras que me custam a passar.
Mas desde á 15 dias para cá, quando vejo que um segundo se transforma em minuto, e um minuto em cinco, penso: vou seguir aquela luz pequenina que se acendeu em mim à 15 dias.
e penso em ti, na nela, no Jorge e em todos os que me acompanharam...
és enorme Guilherme.
és enorme *