domingo, 29 de junho de 2008

Lembranças


Lembranças… Recordações… Guardamos tantas coisas que servem para demonstrar num local que estivemos ou uma actividade que fizemos. Eu vou ser sincero, eu tenho muitas lembranças para além daquelas que guardo em minha memória, guardo muitas coisas. Em particular, tenho recordações de momentos que me têm ajudado na minha vida, são acontecimentos que definiram linhas no meu caminho que faço de tudo para manter… daí tento guardar tudo, mesmo que seja algo que não tem muito interesse mas que por me trazer à memória bons momentos não tenho coragem de não guardar. As vezes esta atitude preocupa-me um bocado… é preciso as vezes pensarmos na razão porque guardamos todos estas recordaçõezinhas. Já que elas nos trazem à memória momento tão importantes para nós devemos ter o cuidado para que também esses momentos não se tornem… meras recordações. Eu quando olho todas as coisas que decidi guardar, gosto de pensar que é para trazer a mim próprio a sensação do momento já vivido e mantê-lo presente no meu dia-a-dia para ter a certeza que não me esqueço desse pedacinho na minha vida diária. O problema é quando deixo que, o momento que tento reviver ao olhar aqueles simples objectos, se torne também um “objecto”. Torna-se um grande momento da minha vida que aconteceu a uma certa data e que não consegue passar daí… passa a ser uma data no calendário que foi diferente mas que não deixa de existir para além daquele ou daqueles dias. Quando isto acontece o objectivo com que decidi participar nesses momentos simplesmente… perde-se… e isso faz com que esses dias não sejam mais do que uns dias em que me diverti bastante. Quando reparo que isto acontece felizmente costumo ter o click que me faz voltar ao caminho que tinha escolhido… porque o que realmente quero quando guardo todos aqueles objectos é fazer com que realmente todos os momentos que eles me trazem à memória estejam e principalmente sejam o meu dia… que realmente me mudem para poder dar lugar Aquele que eu quero que habite em mim. Se estes momentos fossem meras recordações, eu viveria a minha vida normalmente e teria aqueles momentos de nostalgia que me trariam emoções muito intensas e fortes que acompanhariam esta minha vida digamos mais normal. Ao tentar tornar estes momentos em algo não tão intenso e em algo mais “rotineiro” pode nos dar a ideia que não nos faz viver o momento… vivê-Lo tão fortemente que é algo que procuro muito, mas não é o que acontece. Vê-Lo presente em momentos muito especiais da nossa vida é maravilhoso e único, mas vê-Lo em nós todos os dias é muito mais especial… oferecermo-nos para Ele poder fazer a sua obra todos os dias é inexplicável. Quando nos apercebemos que realmente mudamos e que isto acontece ao longo do nosso dia… que mudamos para Ele poder viver mais um bocadinho, que Lhe damos o nosso dia… quando nos apercebemos que conseguimos isto… as recordações são ultrapassadas e todos esses momentos prolongam-se no tempo. É esta a missão das minhas pequenas recordações, é por isto que quero continuar a guardar todas as pequeninas coisas… para que nada desapareça e para que nada seja pontual… porque Ele não é pontual, já que Ele nos fala serenamente ao ouvido todos os dias, não podemos nós mostrar-Lhe todos os dias os nossos braços?

2 comentários:

sandrita disse...

as lembranças sao por vezes yudo o que nos mantem vivos.
beijo*

Ana Patrícia disse...

Também costumo guardar todas as coisinhas. :) De vez em quando, dou um pulinho às minhas caixas e revejo tudo. Acontece-me, porém, por vezes, passar as mãos e os olhos por algum objecto e pensar em não guardar mais. No entanto, nunca o faço. Teimamos sempre em guardar, guardar, guardar....No fundo, acho que temos algum receio de nos deitarmos fora a nós próprios, de nos perdermos no meio de tudo o que deixa de ter significado...

Beijinho sereno